Realizado dos dias 16 a 19 de novembro, em formato virtual, o III Seminário Mineiro da Cachaça reuniu representantes da cadeia produtiva e comercial do destilado. Promovido pela Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais (Seapa), o evento apresentou tendências de mercado e consumo, exportação, dentre outros assuntos pertinentes ao setor que, assim como outros segmentos econômicos, foi impactado pela covid-19. Exibido pelo canal do Youtube da Seapa, o Seminário registrou cerca de 250 inscritos e mais de mil visualizações nos quatro dias de transmissão.

Segundo a diretora de Comercialização e Mercados da Secretaria de Agricultura, Jaqueline de Fátima Santos, a iniciativa foi pensada para ajudar o produtor na comercialização de seu produto, especialmente neste momento pandêmico. “Tivemos um ótimo retorno dos participantes que gostaram muito da apresentação e discussão de temas tão pertinentes à situação atual do mercado”, conta. O evento, que já é tradicional no Estado, foi realizado pela primeira vez em formato virtual, experiência avaliada como positiva pelos organizadores. “As palestras estão disponíveis na plataforma do Youtube, por isso, acreditamos que atingiremos um público ainda maior. Para o próximo ano, a tendência é realizar um evento em sistema híbrido”, complementa.

Também foram parceiros na realização do encontro o Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), órgão vinculado à Seapa; a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Faemg); a Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg); o Instituto Brasileiro da Cachaça (Ibrac); o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae); a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel); a Associação Brasileira dos Responsáveis Técnicos de Destilarias, Alambiques e Engarrafadoras de Bebidas (ABRTB); a Confraria Mineira da Cachaça (Confala); o Portal Cachaciê; e o Sindicato das Indústrias de Cerveja e Bebidas em Geral do Estado de Minas Gerais (Sindbebidas).

Tradição

Minas Gerais se destaca como um dos principais produtores de cachaça do país, de acordo com o Anuário da Cachaça 2021 - publicação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Os dados de 2020 indicam que, dos 955 estabelecimentos produtores de cachaça registrados no Mapa, 397 são mineiros. Ao todo, o estado soma 1.908 diferentes marcas do produto.

O periódico divulgado durante o último mês de julho trouxe também, como um de seus destaques, o trabalho realizado pelo IMA de fiscalização, registro e orientação aos empresários do setor. Nos últimos dois anos, cerca de 700 operações foram realizadas para legalizar alambiques produtores e estabelecimentos comerciais em Minas. A empresa vinculada à Secretaria de Agricultura foi pioneira no Brasil, entre os órgãos de defesa agropecuária estaduais, em inspecionar a produção e a venda da aguardente de cana-de-açúcar.

 

Danielle Moura e Paula Machado - Ascom/Seapa 

Foto: Carlos Alberto Pereira/Imprensa-MG

 

Siga a Secretaria de Agricultura nas redes sociais: Instagram - Youtube - Twitter - Facebook

Acompanhe as notícias do Estado pela Agência Minas