A presença feminina vem crescendo no agronegócio brasileiro. De acordo com o IBGE, em Minas Gerais a participação da mulher na direção dos estabelecimentos agropecuários saiu de 10,8%, no Censo de 2006, para 14,4% no Censo 2017. Agora elas vêm fortalecendo a presença num outro quadro importante, o de contratações de crédito rural. Dados do Banco Central revelam que, em 2020, foram feitos 53.956 contratos (Empresarial e Pronaf) para mulheres em Minas Gerais, o que corresponde a 24,27% do total de financiamentos agropecuários.

O número que mais chama a atenção é o percentual de mulheres nos contratos do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), que é 31,14% (44.684 contratos). Para José Henrique Barbosa, coordenador técnico estadual de Crédito Rural da Emater-MG, empresa vinculada à Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), é uma quantidade bastante significativa, pois é mais que o dobro do percentual de mulheres responsáveis pela gestão de propriedades rurais no estado, segundo os dados do IBGE.

“Diferente do setor empresarial, onde geralmente a esposa mora na cidade e tem outra profissão, na agricultura familiar toda a família está envolvida na atividade, tanto o casal, como os filhos. E a mulher participa ativamente do trabalho rural”, comenta Barbosa.

O coordenador da Emater-MG explica que o crédito agrícola é um importante instrumento para o fortalecimento da atividade agropecuária no país, e ter acesso a ele ajuda o produtor a investir na propriedade e a melhorar a produção. “O crédito rural proporciona meios para que o produtor ou produtora conduza adequadamente suas atividades e realize o investimento necessário na propriedade, ao mesmo tempo que gera emprego e renda. Por isso, é importante que ele chegue também ao jovem e à mulher rural”, argumenta.

Uma comparação com os dados do crédito rural de 2019, disponibilizados pelo Banco Central, revela ainda que a quantidade de contratos destinados às mulheres cresceu em termos percentuais em relação ao total, nos dois últimos anos. Em 2019, em Minas Gerais, foram fechados 49.207 contratos para pessoas do sexo feminino nas linhas Empresarial e Pronaf, num valor total de R$2.592.088.044,56, ou seja, 23,02% do crédito total aplicado no estado.

Deste total, 40.306 mulheres tiveram acesso ao Pronaf (29,90%), num volume de R$332.826.943,14. “De 2019 para 2020, houve um crescimento superior a 5% no percentual de operações contratadas por mulheres”, explica Barbosa.

Auxílio aos produtores

As agricultoras e agricultores familiares interessados em fazer um financiamento agropecuário podem procurar ajuda no escritório local da Emater-MG de seu município. A empresa de extensão rural tem uma parceria com o Banco do Brasil, que facilita o acesso do produtor ao crédito rural.

Em muitos municípios mineiros, os extensionistas da Emater-MG também atuam como Correspondente Bancário (Coban). Isso permite que o produtor possa realizar quase todo o processo de contratação de crédito do Pronaf via escritório da Emater-MG, ficando para o banco apenas a análise e aprovação.

Flávia Freitas - Ascom/Emater-MG

Foto: Divulgação/Emater-MG

 

Siga a Secretaria de Agricultura nas redes sociais: Instagram - Youtube - Twitter - Facebook

Acompanhe as notícias do Estado pela Agência Minas